• JUNTE-SE A NÓS NAS REDES SOCIAIS:

A criança e o prato de comida – parte 3

Categoria: Comportamento, Notícias por Comer para Crescer3 de setembro de 2010

Neste post, falaremos das crianças inquietas e com pouco interesse na alimentação porque apresentam um transtorno alimentar. Não são crianças de apetite seletivo como vimos aqui ou que simplesmente se distraem um pouco à mesa. Segundo o pediatra Benny Kerzner, algumas crianças têm o apetite facilmente saciado e se distraem com bastante facilidade. Afinal são pequenas, e o mundo é muito mais bacana e legal do que ficar sentado na frente de um prato de comida.

Algumas, porém, se recusam duramente a comer. Mesmo. Principalmente na fase de transição entre o leite materno e a papinha. “(Irene) Chatoor, que descreveu estas crianças em detalhe, acredita que elas têm uma espécie de anorexia infantil”, diz Kerzner. Esse transtorno costuma surgir entre os seis meses e os três anos. E é transitório. Mas dá um bocado de trabalho. A médica Irene Chatoor acredita que essas crianças param de comer na luta por ganhar autonomia e controle. Algumas recusam o alimento sólido por semanas. Tanto que a médica diagnosticou crianças que ficaram até um mês (!!!) se recusando a comer sólidos.

Essa desordem vem acompanhada de outros comportamentos. Junto com a recusa persistente pode haver

– desnutrição infantil

– preocupação dos familiares com a pouquíssima quantidade de comida ingerida pela criança (Hein? Tem mãe que não demonstra preocupação quando esse quadro se instala?);

– relação conflituosa entre mãe e filho(a) (Diante de quadro assim, é difícil não descer do salto. A relação fica demasiada desgastada, de fato);

– excesso de distração e fala da criança durante a refeição.

Quando o quadro de anorexia infantil é grave, outros sintomas surgem, relataram os nutrólogos Mauro Fisberg e Camila Leonel de Abreu. São eles:

– dor crônica, depressão, ansiedade, hipoguesia (sensibilidade diminuída do paladar), hiposmia (diminuição do olfato), náuseas, funcionamento inadequado do tratogastrointestinal.

Kerzner explica que, em geral, estas crianças são alertas, ativas e inquietas. “Estão mais interessadas no ambiente do que nos alimentos.” Os pais, diz o médico, podem se tornar ansiosos (parece óbvio) e incentivar a criança a comer lançando mão de práticas que inibem ainda mais o apetite, as tais práticas coercitivas. Daí, vira o caos. Porque ambos os lados entram numa disputa de poder. De um lado, os adultos querendo vencer a queda de braço obrigando o filho a comer. No outro, a criança resistindo, para ganhar o comando da colher. O médico destaca que, se a dificuldade de alimentação não é abordada com o pediatra, estas crianças correm o risco de não se desenvolverem bem nem de crescerem adequadamente, mesmo não apresentando nenhuma doença debilitante.

O tratamento, segundo o médico, deve ser projetado para aumentar o apetite e promover a fome, permitindo então que a criança sinta prazer em comer.

Além de enfatizar a importância dos princípios de alimentação:

• Certifique-se de oferecer três refeições e um lanche da tarde (e só);

• A criança deve começar a comer em até 15 minutos do início da refeição e terminar em 20 minutos;

• Os pratos devem ser retirados caso a criança não comece ou não termine a refeição dentro de um período de tempo razoável;

• Não fique tentado a fazer trocas nem a estimule a beber sucos. Permita apenas água entre as refeições. (O açúcar costuma “encher” uma barriguinha pequena, além de ensinar um paladar, que não é lá simpático e fácil, a aceitar somente alimentos açucarados).

• Se a criança estiver com o crescimento vacilante, a dieta alimentar precisa ter alto teor calórico. Somente o pediatra pode avaliar a necessidade de um estimulante de apetite.

• Deve-se assegurar que todos os envolvidos nessa empreitada se apóiam mutuamente. (Não adianta apenas um ou outro abraçar a causa e o restante da família jogar contra, ou seja, sabotar o tratamento).

Se você ficou com dúvidas a respeito desse perfil, o ideal é conversar com um pediatra sensível às queixas das mães ou ainda um nutrólogo e talvez até uma nutricionista para investigar as suas queixas e fechar o diagnóstico.

Não vai sair achando que o filho tem anorexia, peloamordedeus! Muita calma nessa hora. Diz Mauro Fisberg que “é preciso distinguir as crianças que comem pouco e/ou são seletivas daquelas que realmente apresentam critérios diagnósticos da anorexia.” A gente vem dizendo aqui no blog, desde sempre, que as crianças passam por períodos de inapetência, mas na grande maioria dos casos são fases curtas, que vão embora e voltam depois de um tempo. Não são períodos persistentes, ou seja, que duram dias ou semanas a fio.

Outra coisa, boa parte das crianças pequenas costuma mesmo ser inquieta diante de um prato de comida. O mundo ao redor é muito mais excitante. Certa vez entrevistei um psiquiatra infantil que disse que toda criança até 5 ou 6 anos tem certo grau de déficit de atenção e um pouco de hiperatividade (por isso que os diagnósticos sérios de TDAH são demorados). Basta alguém ligar o liquidificador na cozinha e a criança pára o que está fazendo para ir ver o que faz o som e onde ele está sendo produzido. O adulto sabe que som um liquidificador pode fazer. A criança, não, por isso precisa checar. Daí, a sacada de Kerzner para que a refeição aconteça em um ambiente tranqüilo, livre de ruídos. Isso não significa que a sua (ou a minha) casa deve ser tão silenciosa quanto um mosteiro na hora do almoço ou do jantar. A algazarra, ou som ambiente, da hora de comer numa casa com criança já basta.

Beijos,

Patricia


24 thoughts on “A criança e o prato de comida – parte 3”

  1. rejane disse:

    trabalho com criança e tenho um aluno que não come nada solido so mamadeira ele tem 3 anos.Quando conseguimos colocar o alimento na boca dele ele chora desesperadamente.Nao sei o quer fazer.voce pode me dar algumas dicas? obrigada.

    1. Comer para Crescer disse:

      Oi Rejane, que situação, hein? Fica difícil darmos dicas para o seu caso pois não somos médicas. E como seu aluno já tem 3 anos, acho que seria o caso de procurar ajuda especializada pois ele deve ter carência de nutrientes se alimentando apenas com mamadeiras. Eu diria para você comer ao lado dele, mostrar outros amiguinhos comendo – quem sabe vendo outras crianças da mesma idade comendo ele não se anima. E tentaria até (o que não deve ser muito politicamente correto), oferecer alimentos mais queridos das crianças, como bolachas, chocolate, macarrão. Sentindo um sabor gostoso ele pode resolver experimentar outros. Não sei até se você não tentou esse tipo de coisa… Mas é importante descobrir se não há nenhum problema físico que o faz rejeitar a comida sólida. Meu conselho é realmente procurar ajuda especializada, nem que for para começar em um posto de saúde.
      beijos e boa sorte!
      Mônica

    2. Comer para Crescer disse:

      Oi Rejane,
      Além das dicas da Mônica, eu acrescento para vocês conversarem com os pais da criança e saber se eles já buscaram alguma ajuda especializada. Tentar junto com a família ajudar essa criança, que deve sofrer também!
      beijos e boa sorte!
      Patricia

  2. Cintia Cristina Batista disse:

    Minha filha tem 3 anos e 8 meses e só quer comer papinha batida no liquidificador a pediatra disse que ela esta abaixo do peso normal e pediu para
    dar comida solida pra ela pois ja passou do tempo.Acontece que ela nâo aceita comida solida tentei por uma semana e nada .Ela perdeu mais peso ainda.Não sei mais o que eu faço estou muito preocupada seria o caso de procurar uma nutricionista por favor me responda .Desde ja agradeço
    Beijos

    1. Comer para Crescer disse:

      Oi, Cintia.
      Acho que uma nutricionistra pode te ajudar muito, principalmente orientando sobre o uso de alimentos mais calóricos e saudáveis, como banana, mel, farinha de aveia. Ela pode inclusive orientar sobre como devem ser as tentativas de introdução dos alimentos com essa nova consistência. O importante é vc não desanimar e entender que, afastadas possíveis doenças, a resistência da sua filha é um comportamento normal e esperado. É uma espécie de efeito protetor a algo que ela não gosta. Por isso, paciência. Mas sabemos também que é um processo desgastante para você, por isso peça ajuda e não desista. E converse mais com a pediatra para afastar suspeita de doenças. Boa sorte!
      Patricia

  3. Nicolle disse:

    Meu filho de 2 anos e meio ainda nao come comida sólida e está rejeitando a papinha, não est´s se alimentando com comida de sal, estou aflita.
    Oque devo fazer, por favor me ajude!!!!!

  4. ELISANGELA MARIA MAXIMO disse:

    Minha filha tem paralisia cerebral devido citomegalovirus congenito,ela tem 6 anos e nao tem problemas para engolir mas regeita todo tipo de alimento salgado,e solido.Ela nao pega pão ,bolacha nada que seja solido de comer parece que tem nojo.A fono fala que eu tenho que insistir mas ela nao aceita,e para comer 2 colher de sopinha amassada tem que ser forçada, forçada mesmo é um atortura para ela e para mim. O que faço? Sera que essa rejeição é devido ao problema dela?

  5. vivian disse:

    meu filho tem 1 ano e 3 meses nao quer solido de jeito nenhum mso toma vitamina de frutas e leite,a pediatra passou estimulante de apetite mas nao adiantou .estou aflita ja tentei de tudo ,nem triturada ele aceita,me ajudem .

  6. fatima parecida mazzello pinto disse:

    meu filho de 5 anos e 7 meses estava com 18 quilos e 900 gramas, teve infecção de garganta e ficou 3 dias sem comer perdeu o pouco de peso que tinha. Ele é éssimo pra comer só come arroz e carne, não há o que faça ele experimentar outros alimentos. Gostaria que ele ganhasse mais um pouco de peso a pediatra disse que o ideal seria que ele pesasse até 21 quilos, piada só se eu doasse gordura pra ele. Tenho duvida quanto a quantidade de alimento que devo colocar no prato as vezes acho que coloco muito. Por favo me oriente quanto a porção em média ingerida por uma criança dessa idade.

  7. magali disse:

    boa noite,gostaria de uma informaçao.Meu filho tem 7 anos e meio de alguns meses para ca nao quer comer comida de sal so quer bananas que ja o fez engordar um pouco, bolo paes etc…tem reclamado de dores nas pernas o que pode estar acontecendo me ajude ele e muito saudavel.Obrigada.

  8. jacira disse:

    minha tem um ano e oito messses e so quer comer comida amassada, se nao amassar ela faz ancia e nao come.. é normal? o qe eu fasso…

  9. Juliana disse:

    Minha filha vai fazer 3 anos em 2 meses e desde os 8 meses de idade que ela não come comida de sal (arroz, feijão, carne, legumes …), ela faz vômito quando forçamos uma colher desses alimentos. Já tomou estimulante de apetite, já ficou com fome quase o dia todo e nem assim ela aceitou provar a comida. Ela come fruta muito bem, toma bastante suco natural.

  10. barbara disse:

    ola achei muito boa essa materia pois tenho esse grande problema em casa tenho 2 filhas a de 5 anos come de tudo mas a de 9 desde pequena so comia sopa batida e fruta amassada nunca aceitou comida solida ja fiz de tudo para fazer ela comer ela nem prova se obrigar a por na boca ela vomita so come pao cereais iogurte leite bolachas…… nunca conseguimos fazer ela provar nada de comida normal aparentemente ela tem um crescimento normal mas a familia vive desesperada com a situaçao nao sabemos oque fazer…..

  11. Andreia disse:

    Passo pela mesma situação minha filha tem 2 anos e só come comida batida e olhe lá mau mau…Não sei o que fazer ela já passou 24 horas sem comer nada já vomitou de fraqueza mas não come já de vitamina mas nada, o jeito é ir levando e esperar ela crescer pra ver como vai ser!
    Boa sorte a todas q está na mesma situação!!
    Bjos

  12. giselle disse:

    muito boa esta reportagem, minha filha tem três anos come bem, mas não come nada solido isto inclui carne grelhada, tenho que fazer carne de panela derretendo, e frutas ate mesmo banana só bem amassadas , tenho medo porque assim ela pratica a mastigação, e acho que isto pode ser prejudicial.

    1. Comer para Crescer disse:

      Oi, Giselle.
      Crianças com 3 anos já têm dentes e, se não existe uma razão médica, todas são aptas a comer a comida da família, a mastigar comidas mais duras. É preciso que sua filha se acostume com alimentos sólidos, inclusive para exercitar a musculatura facial, estimular as gengivas e dentição. Crianças que só comem alimentos moles costumam ter problemas dentários ainda na primeira infância. Uma dica é estimular o gosto por alimentos mais “duros” de maneira lúdica, ou seja, brincando. Chame a sua filha para ajudar a montar uma salada, por exemplo. Peça que vá colocando os tomates cortadinhos na salada assim como as cenouras cortadinhas e vc pode comer um pedaço ou outro e oferecer a ela, sem compromisso que ela aceite. Chame para montar saladas de frutas com maçã! Enfim, recorra à brincadeira, às histórias lúdicas até que diminua a resistência dela, até ela se acostumar com as texturas. É importante que ela pegue na mão os alimentos, sem o compromisso se comê-los, algo que deve acontecer aos poucos. Vá preparando comidinhas que ela goste, mas junto ofereça comidas com consistência até não ter mais a carne que desmancha. No lugar pode ter almôndegas, por exemplo. Troque o ovo mole por ovo de codorna. Ofereça pão francês no lugar do pão molinho. Vá aos poucos fazendo substituições por comidas que ela possa cortar com os dentes e perceber que é gostoso também. Mas é sempre importante ter uma avaliação de um especialista para afastar qualquer problema de saúde.
      bj e boa sorte

  13. Lidiane disse:

    Bem pelo visto estou passando pelo mesmo problema do que a maioria aqui, meu filho de 2 anos e 4 meses só aceita comida batida e mesmo assim com muita insistência, está abaixo do peso (acho que deve ser pela perda de nutrientes da comida batida). Ele almoça, janta e nos intervalos toma vitamina de frutas, já que tbm não as come inteiras. Fico muito preocupada e por conta disso ainda não voltei a trabalhar, pois mesmo a papinha batida ele só come com muita insistência comigo ou com o pai. Ta difícil… Se alguém que passa pelo mesmo puder me adicionar para trocar dicas, eu agradeço, já que pessoalmente não conheço ninguém que passa por essa situação, pelo contrário, todos me criticam, dizem que a culpa é minha e tal… o que me deixa mais angustiada e sem saber o que fazer. Ele toma vitamina estimulante do apetite, já deixei sem a papinha, tentando dar comida sólida, mas ele não aceita, faz ânsia de vômito e se deixar fica o dia inteiro sem se alimentar.

    1. Comer para Crescer disse:

      Oi, Lidiane.
      Puxa vida, que barra, hein! Com certeza você já deve ter levado seu filho ao pediatra e, ao que parece, não adiantou. Você já pensou em marcar uma consulta com um pediatra nutrólogo? Não sei onde vc mora, mas acho que valeria a pena vc dar uma procurada na sua região e vcs todos passarem em consulta com este especialista, inclusive para afastar a possibilidade de alergia alimentar, se o seu filho ainda não fez os testes. Nesse estágio que seu filho está é importantíssimo que vocês tenham orientação de um profissional que entende do assunto na área da saúde. Infelizmente, não são muitos aqui no Brasil. Mas eles existem. Posso recomendar dois: dr. Carlos Nogueira de Almeida, ele atende no interior de São Paulo, e dr. Mário Fisberg, atende em São Paulo.
      Boa sorte!

  14. Silvana disse:

    Olá, ando aflita com o meu filho de 3anos e 7 meses, ele teve refluxo em jato até os seis meses de idade, mamou até 2anos e parou por conta própria, no começo comia papinha de vários sabores, tanto salgadas quanto doce, mas na hora de passar a comer comida sólida…até o caroço de arroz fazia ele vomitar, algumas vezes mágicas ele chegou a comer até o famoso capitão de feijão, arroz, carne e farinha, porém, parou de comer e desde então só come papinha preta (assim ele chama a papinha de feijão preto).Fazer ele comer é um drama ele nunca provou um macarrão. Já levei a pediatra, já levei a nutricionista também e nenhuma dica funcionou. Ele come pão, come banana, uva e começou a comer maçã o que me deixou radiante, um dia comeu pizza, mas eu gostaria de vê-lo comer um prato de almoço normal com comidas sólidas. Ele tem massa corporal de 15,6kg e está com 98cm. Será que um estimulador de apetite funcionaria?

  15. paula disse:

    oi minha filha tem 2 anos e 7 meses e nao quer comer mesmo,ela é bastante enjoada,só gosta de porcaria,nao esta facil pra mim acho q vou comprar um suplemento vitaminico para ajudar no desenvolvimento dela,e ela anda bastante irritada sera q é por causa de falta de vitaminas no organismo?

  16. adriana candido disse:

    meu filho tem 3 anos enao come de maneira nenhuma ele fala que nao gosta de comida.o que eu faço ja estou desesperada eu queria que ele comesse arroz ,feijao,carne……..mas ja tentei de tudo.ele so quer comer danone ,bolacha e nescau e sempre procura doce.

  17. andreia disse:

    meu filho nao come por favor me ajude ele tem a 1 ano e 2 meses rejeita tudo q solido tem vomito fica desesperado . me ajude

  18. andreia disse:

    me ajude meu filho tem 1 ano e 2 meses nao come nada e vomita tudo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>