Aprenda a dizer não para o seu filho na hora da comida

… inclusive quando o assunto for alimentação.

Uma pesquisa do Instituto Alana no ano passado mostrou que 76% dos pais acham que a publicidade excessiva de comidas industrializadas atrapalha na hora de manter a alimentação saudável da família. Afinal, crianças brasileiras passam em média 5 horas vendo televisão e com isso sofrem interferência nos seus hábitos alimentares  e …. Peraí?! Crianças brasileiras passam em média 5 horas vendo TV?

Vamos começar de novo: nem na minha casa, com duas crianças e pais que amam televisão, as pequenas passam 5 horas vendo TV. O que ocorre com o mundo? E, se na pior das hipóteses, elas assistissem, levariam uma arma para colocar na minha cabeça na hora das compras, exigindo porcaritos?

Não sei se todo mundo já notou, mas crianças pequenas NÃO entram no supermercado sozinha e NÃO pagam pelo produto com dinheiro do próprio bolso. Há sempre um ser humano mais adulto que faz isso, até onde eu sei, de livre e espontânea vontade. Mas depois, esse mesmo ser humano esquece desse fato.

Agora, falando sério, aqui no Comer para Crescer somos a favor de uma regulamentação da publicidade infantil. Mas não adianta nada ficar lutando contra os publicitários se não aprendermos a dizer não para nossos filhos no supermercado. Eu sei, por experiência própria, o quanto isso é difícil, o quanto nos enche de culpa, o quanto nos perdemos nos argumentos diante de uma criança birrenta. Mas nessas horas é bom lembrar que crianças precisam do não. Apesar da frustração, no fundo elas sentem aquilo como um ato de amor, sabem que os pais estão cuidando dela, protegendo. Crianças precisam dos limites para se sentirem seguras no mundo. Pense nisso na próxima vez que ela exigir algum salgadinho e você ficar propenso a comprar apenas porque não tem mais paciência de negar algo para ela.

A palavra e o exemplo dos pais precisa ser maior e mais importante do que qualquer tentativa sedutora dos publicitários, qualquer sanduíche de fast food ou doce da padaria. Grite como o He Man: Eu tenho a força! E diga não.

beijos

Mônica

P.S. Leia mais sobre esse assunto no excelente texto de Caio Melo no Pais Modernos