Como aprendi a cozinhar

Dona-de-casa-vintageAssim como eu, você também deve estar longe de ser uma prendada dona de casa da década de 50? Quando a Isabella nasceu – e as papinhas também – resolvi mudar a situação e aprendi a cozinhar depois de receber uma dica ótima: livros de culinária para homens. Sim, neles ninguém tem vergonha de explicar o que afinal é refogar. Ou a diferença estética entre a rúcula e a mostarda. Foi a minha salvação na cozinha.

O meu preferido, Guia Para a Sobrevivência do Homem na Cozinha, está esgotado. Mas acabo de descobrir que a autora, a jornalista Alessandra Porro, fez um blog especialmente com o conteúdo dele. Gente é demais! Tem tudo explicadinho, desde a melhor panela para você usar em cada tipo de prato até como é e pra quê serve cada corte de carne (você nunca mais será enganada pelo açougueiro). E ainda tem receitas básicas como o filé com molho de mostarda que já levantou muitos jantares aqui em casa.

Olhando nas livrarias descobri mais dois livros legais. A idéia de Bagunça na Cozinha – O primeiro livro do aprendiz de cozinheiro (da Callis Editora e ilustrado por Kiko Farkas) é que crianças a partir de seis anos aprendam a cozinhar. Nem é preciso dizer como tudo é bem detalhado. Há um capítulo especial sobre segurança na cozinha importante para nós, cozinheiras de primeira viagem.

Elementos da Culinária de A a Z – Técnicas, ingredientes e utensílios (de Michael Ruhlman, Editora Jorge Zahar) fala sobre tópicos importantes, como caldos, molhos e acessórios culinários, ótimo para quem vai começar a lidar com tudo isso.

Vamos nos divertir na cozinha!

Beijo,

Mônica

 

PS: Post publicado originalmente em outubro de 2009