Como lidar com crianças que não comem sólidos

 

Baby-Vintage-ipad-wallpaper-ilikewallpaper_com-1024x10241

Crianças que não comem sólidos. Esse fato é capaz de colocar os pais em pânico. Muitos acham que seus filhos vão acabar morrendo de fome. Outros que jamais vão crescer. E a gente sabe que desespero de pai não tem lógica, não segue regras, não é racional. Não adianta dizer que um dia ela vai comer de tudo, que nenhuma criança morreu disso até hoje…

 

Então, depois de receber vários emails e telefonemas sobre isso, como boa jornalista fui atrás de uma resposta. E as notícias são boas.

 

Crianças que não comem sólidos precisam de estímulo

 

Quando a criança faz um ano, ela está apta para comer alimentos sólidos. Isto é, ela consegue mastigar caso não tenha nenhum problema físico. Mas isso não significa que ela queira mastigar, principalmente se não foi estimulada para isso. “Nem sempre tudo acontece exatamente como a gente quer. Um bebê um dia engasga, ou demora a gostar de comer, ou fica doentinho, e lá, enquanto ele é novinho, acaba não acontecendo o estímulo ideal”, explica a nutricionista Karine Durães, nutricionista especializada em pediatria, sócia proprietária do Centro Humanizado de Nutrição Infantil Vilarejo. Isso faz com que a criança não se anime muito a usar os dentes.

 

Karine também explica que esse estímulo é mais fácil de ocorrer quando o bebê é pequeno e se encontra na fase oral (leia aqui 20 dicas para ensinar o bebê a comer). Depois ela começa a andar, explorar o mundo e tem outros interesses. Por isso a sensação de que é tão difícil fazer crianças com mais de um ano comer os sólidos. O ideal é começar a oferecer esse tipo de alimento assim que nascem os dentes, para a criança já ir se acostumando.

 

Os problemas que podem surgir com o fato dela não comer sólidos tem mais a ver com o desenvolvimento do que nutrição. Afinal, com sopas e sucos uma criança pode receber todos os nutrientes que precisa. Mas como ela não mastiga, não desenvolve os músculos e pode demorar a falar. Pode ficar com o padrão oral imaturo e isso interferir na sua sociabilidade e desenvolvimento escolar. Além disso ela não vai desenvolver um dos maiores prazeres da vida que é comer. E esse é um importante passo para se ter uma alimentação saudável.

 

Como mudar a atitude das crianças que não comem sólidos

 

Se isso não ocorreu, o conselho de Karine para os pais é ir aos poucos. “Entendam o que é um engasgo e um reflexo, para aumentar a segurança de alimentar seu pequeno. Sua angústia pode deixar a criança insegura. E tente estimular. Com alimentos favoritos, com um percentual da comida sem amassar e muita, muita e muita paciência. Se a criança, por exemplo, tirar um pedaço da boca, deixe ela se virar”, diz.

 

Você pode começar oferecendo uma papinha com alguns pedacinhos de sólidos mais molinhos, como a cenoura cozida. Ou amassar metade da papinha e a outra não, é dar os dois tipos para o bebê alternadamente. Comece com alimentos que seu filho goste para incentivar ainda mais. E não tem problema fazer novamente todo o processo de introdução alimentar – com papinhas bem ralas, depois mais grossas, depois pedaçudas (leia aqui como ela ocorre). Pode ser cansativo no começo, mas não desista e lembre-se que ele vai acabar aprendendo a comer mesmo que demore.

 

A Karine Durães é nutricionista especializada em pediatria, sócia proprietária do Centro Humanizado de Nutrição Infantil Vilarejo. E você pode saber mais sobre ela nos links:

www.vilarejonutricao.com.br

www.nutricionistainfantil.blogspot.com

beijos

Mônica

 

Aproveite para conhecer o canal no Youtube do Comer para Crescer com receitas fáceis e práticas de fazer