O McDonald´s está mais saudável? ou Não culpe o fast food, vá educar seu filho

 

Fast food. Muitos irão me questionar por conta deste post, então esclareço. Não, não ganhei nada para escrever. Sim, minha família come no McDonald às vezes, (gostamos das saladas, dos nuggets e dos brindes) assim como comemos em outros fast foods, em outros bons restaurantes e, na maioria das vezes, em casa. Sou contra propaganda abusiva e tenho consciência do poder delas sobre as crianças.Sou a favor de uma interferência da sociedade.

A minha opinião, como tudo na vida, pode estar certa ou não…

Dito isso, acho que sim, o McDonald´s está mais saudável.  Pelo menos do ponto de vista nutricional.

Antes de entrar na burrice generalizada de dizer que nenhum fast food é saudável sem nem mesmo saber o conceito do que é saudável, entenda: pães, queijos, carnes e legumes são nutritivos. Esses são os principais ingredientes dos sanduíches em lanchonetes. Junto com os benefícios desses alimentos, há o excesso de gordura e sódio.

O que o McDonalds fez? O Mc Lanche Feliz ganhou a opção de frutas na sobremesa e sua McFritas teve as calorias reduzidas. O McNuggets, o queijo, os pães e o ketchup tiveram o sódio reduzido. O suco de fruta tem menos 40% de açúcar.  Tudo isso significa sim comida mais saudável. Ou menos pior. Aí já é aquela história do copo meio vazio ou meio cheio que o Chico falou…

A atitude não é novidade. Muitas redes de fast foods estão mudando o seu cardápio, diminuindo os excessos e oferecendo opções mais saudáveis como a Subway e o Giraffas. Assim como os fabricantes de comida industrializada – vide alguns salgadinhos que agora são assados.

JÁ PODEMOS ENTÃO COMER COM NOSSOS FILHOS NAS PRAÇAS DE ALIMENTAÇÃO TODOS OS DIAS?

NÃO!

Aliás, nenhum restaurante merece sua presença todos os dias já que a variedade é uma das leis da alimentação saudável. E você não iria oferecer um pão com hámburguer de segunda a domingo para uma criança, certo?

A grande questão é: de quem é a responsabilidade sobre a alimentação do seu filho? Sua!

Não dos fast foods, não dos publicitários, não das propagandas. Eles, assim como o crucificado Mc, estão fazendo a parte deles que é vender, fazer um bom marketing e propagandas sedutoras – que devem sim ser regulamentadas para não ficar excessivas ou enganosas.

Sabe qual é a sua parte? Educar seu filho, ensiná-lo a comer corretamente. Negociar a batata frita, trocar o sorvete pela fruta, proibir o refrigerante. Mostrar outras opções que existem em uma praça de alimentação.

É muito fácil chegar em um fast food e simplesmente fazer todas as vontades da criança. Quem decretou que ali ela manda? A preguiça de educar? Em casa ela pede refrigerante e você dá?

Ou será que essa é mais uma forma de terceirizar a educação da criança, assim como muitos pais fazem com as escolas, com as babás, com os terapeutas, com os motoristas?

Fast foods sempre existiram e sempre vão existir, assim como as comidas industrializadas. Proibir só vai deixá-los mais atraentes. O caminho é negociar e explicar. Dar opções. Talvez comprar apenas o brinde – e a criança vai comer arroz e feijão feliz em casa.

Ou então, vá ao Mc, deixe-a comer o que quiser e assuma a responsabilidade. Não jogue a culpa no fast food. Não seja hipócrita.

 

beijos

Mônica