Os segredos do McDonald´s

Os segredos do Mcdonald´s. Semana passada fui conhecer a Cidade dos Alimentos, um complexo industrial do McDonald´s, onde ficam, por exemplo, a fábrica de pães e de hambúrguers. Confesso que para mim, guardada as devidas proporções, foi quase como visitar a Fantástica Fábrica de Chocolate!!! Ou como desvendar o território inimigo, já que tudo o que ouvimos de pediatras, nutrólogos e outros especialistas é: fique longe de fast foods…

Bem, descobri o seguinte:

* sim, os ingredientes usados para fazer os sanduíches, sobremesas e saladas são ok, alguns até muito saudáveis. Toda a matéria-prima vem de fornecedores que só são aceitos (e mantidos) se obedecem a um rígido padrão de qualidade. E a empresa mantém uma invejável logística para fazer entregas no Brasil todo, mantendo a qualidade do produto – ou ele é descartado.

* sim, todo o processo de produção é de um cuidado e higiene exemplar. São poucos os funcionários que entram em contato com a matéria-prima pois uma grande parte do preparo é feito por máquinas. Além  do cuidado enquanto o produto é feito, ainda há inspeções humanas e mecânicas depois de pronto, para nada ficar fora do padrão.

* sim, eles se preocupam com alimentação balanceada. Um sanduíche pode oferecer carboidrato (pão), proteína (carne), cálcio (queijo) e verduras (alface e tomate).

* não, o hambúrguer não é de carne de minhoca ou qualquer outra coisa esquisita. Eles são feitos com carne bovina triturada e apenas isso.

Se é tudo tão correto e saudável, porque não posso comer McDonald´s todos os dias? Por que ele é tratado como o grande inimigo? Foi com essa pergunta que saí de lá.

Para responder, conversei com várias pessoas e decidi rever o documentário Super Size Me – A dieta do palhaço, do cineasta Morgan Spurlock, e que parece ser responsável por algumas mudanças da marca, como a divulgação mais clara dos valores nutricionais dos seus produtos.

Concluí o seguinte:

* Os ingredientes são sim ok, mas como qualquer outro produto industrial, os do McDonald´s possuem aditivos, gorduras, açúcares e sódio em excesso. Parece que todos terão um grande desafio pela frente para diminuir essas quantidades e ficar bem com a Anvisa.

* Um Quarteirão com queijo, por exemplo, tem 558 kcal. É um pouco mais do que se você comesse arroz, feijão, salada e um bife, em quantidade moderada. O problema é que ninguém entra no McDonald´s só para comer um sanduíche. Ainda tem as batatinhas (as melhores do mercado, tenho de admitir), o refrigerante, a sobremesa…

* Ainda falando sobre o Quarteirão com queijo, quando você observa os valores nutricionais descobre que ele, sozinho, cobre cerca de 51% das suas necessidades diárias de sódio! Bacana, se você comesse só dois desses por dia…

* Não é para ir ao McDonald´s todos os dias. E nem é essa a ideia deles (foi isso que eu ouvi na visita). E parece que nem é isso que os clientes estão fazendo. Segundo uma pesquisa interna, a média mensal de frequência é de 2,3 vezes por mês. Este dado é referente a um consumidor considerado heavy user, ou seja, de frequência assídua à marca.  Não é incrível como a impressão que temos é outra?

* Entenda, o McDonald´s (e qualquer outro fast food, afinal, usamos o nome deles por serem os líderes de mercado) é uma empresa com fins lucrativos. Eles contam com 584 restaurantes e 62 unidades de McCafé, distribuídos em 143 cidades, localizadas em 22 estados e no Distrito Federal. Atendem 1,6 milhão de clientes por dia aqui no Brasil. E não vão colocar uma faixa na porta dizendo “venha aqui de vez em quando!”. Decidir quantas vezes frequenta o lugar é uma responsabilidade do cliente (?!). Assim como escolher o que vai comer lá dentro. Como bem lembrou uma colega no almoço, ninguém pede cenouritas no lugar das batatas fritas…

Tá, a responsabilidade então é do consumidor (?!) – discussão antiga, que começou com a indústria do tabaco e alcançou os fast foods. Mas como é que fica o apelo da marca, a publicidade que engolimos todos os dias e toda aquela comida viciante? Não sou grande fã, mas ainda nessa semana, fui ao McDonald´s acompanhar meu marido que precisava de uma refeição rápida antes do próximo compromisso. Eu tinha acabado de almoçar, mas quando senti o cheiro do sanduíche colocado na bandeja quase pedi um para mim. O apelo é muito forte! O marketing é muito bom!

Não sei se existem culpados. Penso que eles estão fazendo a lição de casa corretamente, criando boas propagandas, investindo em qualidade (até onde é possível quando se trata de comida industrial), oferecendo algo que para muitos é gostoso.

Nós deveríamos fazer a nossa lição também, lembrando que: propagandas são feitas para nos seduzir e só mostram o lado bom de algo; não existe mágica e os produtos industriais atualmente ainda precisam de substâncias químicas para existirem; um bom sanduíche caseiro, sem tantos conservantes, pode ser até mais gostoso. Simples assim!

beijos

Mônica