Participe da campanha #DoeLeiteMaterno

lucas

Minha filha caçula nasceu prematura, com apenas 1,3 kg. O leite materno era a melhor (e talvez única) forma de mantê-a viva. Por isso, além do meu próprio leite, escasso devido as circunstâncias do parto e da situação, eu contei com o amor e a generosidade de outras mulheres que doaram seus leites para que minha filha crescesse. Um gesto de pessoas anônimas que ajudou a salvar uma vida. Ajudou a salvar toda uma família.

Por isso, o Comer para Crescer tem a maior honra de participar da campanha do Ministério da Saúde #DoeLeiteMaterno. No vídeo a seguir você vai conhecer a história de Lucas, um bebê muito esperto, com tanta vontade de viver que acabou nascendo antes da hora. E agora não sabe se poderá realizar seus sonhos. Ele precisa da mesma ajuda que minha filha caçula precisou.

O leite materno é um alimento completo. Ele possui exatamente todos os nutrientes que o bebê precisa para crescer forte e saudável. E ainda leva em conta seu organismo de recém-nascido, respeitando sua fragilidade. Até os seis meses de idade o leite materno deve ser o alimento exclusivo do bebê e depois pode continuar até os dois anos de idade, segundo as recomendações do Ministério da Saúde.

Muitas mulheres, além de amamentar seu filho, ainda possui leite excedente que pode ser doado e salvar muitas vidas que estão começando. Se esse é o seu caso, procure informações sobre como fazer a doação de leite materno. E qualquer um pode ajudar na campanha compartilhando o vídeo do Lucas em suas redes sociais.

#DoeLeiteMaterno e vamos salvar vidas!

 

beijos

Mônica

*este post é patrocinado pelo Ministério da Saúde